Conselho Regional de Química da 5ª Região
Conselho Regional de
Química da 5ª Região
Rio Grande do Sul
A vida é nosso principal elemento.
   
 
 
CRQV Institucional
Comunicação AFT Registro Delegacias Legislação Programas Fale Conosco CRQV
 
 
   
 
 
Untitled Document
Comunicação
Notícias
Agenda
Newsletter
Informativos
Vídeos
Galeria
Convênios
CRQV

Untitled Document
Todas as Notícias
As Energias Renováveis
14 de junho de 2017
Produção biodinâmica e os benefícios da uva são pautas do ano no setor vitivinícola
14 de junho de 2017
Expediente - Feriado Corpus Christ
06 de junho de 2017
A Química e suas novas tecnologias
02 de junho de 2017
SOMOS QUIMICAMENTE FEITOS DE
04 de maio de 2017
A influência do pH do solo no desenvolvimento das plantas
26 de abril de 2017
| 1 | 2 |   Página seguinte

Siga-nos no Siga-nos no Twitter
Cursos
Informações
Referentes ao Registro
de Cursos de Formação
Profissional no CFQ
CRQV
Cursos aprovados pelo CFQ
Untitled Document
CRQV Voltar à home >> Comunicação >> Notícias CRQV

Estrutura de proteína essencial à replicação do vírus Zika é desvendada
28 de março de 2017

A estrutura tridimensional da NS5 é descrita como uma mão, com palma, polegar e três dedos (imagem:

Com seu tamanho diminuto, um mosquito pode causar um medo considerável. Principalmente se, esmagado com um tapa depois da picada, exibir patas listradas. E mais ainda se quem levou a picada estiver grávida. Transmissor dos vírus causadores de Zika, dengue e chikungunya, o mosquito Aedes aegypti é de fato um inimigo temível.

Por isso o físico Glaucius Oliva, professor do Instituto de Física do campus de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP) e coordenador do Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), sonha com um medicamento que possa ser utilizado em seguida à picada ou logo que aparecem os sintomas, de modo a bloquear a proliferação dos vírus e acelerar a cura. Seu grupo acaba de dar o primeiro passo nessa busca: desvendou a estrutura tridimensional da proteína mais crucial para a replicação do material genético do vírus, conforme descrito em artigo publicado em 27 de março na revista Nature Communications.

“Buscamos o desenvolvimento de fármacos por meio da modelagem de moléculas que interagem com receptores específicos”, conta Oliva. O CIBFar é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. “Mas nunca tínhamos trabalhado com vírus até a formação da Rede Zika (ver Pesquisa FAPESP nº 239).”

O caráter emergencial da pesquisa chamou a atenção do pesquisador, que começou a coordenar a modelagem molecular das proteínas codificadas pelo genoma do vírus Zika. Trata-se de uma molécula bastante curta de RNA que carrega o código para 10 proteínas: três estruturais, responsáveis pela estrutura física que envolve o material genético, e sete não estruturais, associadas à replicação do RNA viral. “O coração do complexo de replicação é a proteína NS5, uma enzima polimerase que usa o próprio RNA como molde para produzir cópias”, explica Oliva. É essa proteína que seu grupo caracterizou, e que pretende usar como alvo para o desenvolvimento de um fármaco.

Para chegar à estrutura foi necessário clonar o RNA, uma etapa feita em parceria com a Cellco, uma empresa criada e incubada na USP em São Carlos por três ex-doutorandos do IFSC com o objetivo de oferecer soluções para laboratórios de pesquisa em biotecnologia. Depois de sintetizar o gene, de modo a não trabalhar diretamente com o vírus, e produzir a proteína, foi necessário formar cristais com a molécula, uma forma de possibilitar a investigação de sua configuração por meio da cristalografia de raios X. Com isso, foi possível chegar ao detalhe na menor escala possível, com a localização de cada um dos milhares de átomos que compõem a proteína.

De posse desse modelo, resta encontrar uma maneira de interferir com o funcionamento da polimerase e impedir a replicação genética. Os pesquisadores de São Carlos não são os primeiros a adotar essa estratégia. “A farmacêutica Novartis há anos está tentando produzir um fármaco contra dengue focando na NS5 do vírus”, conta Oliva.

Embora a empresa tenha outra escala em termos de recursos financeiros e instalações, se comparada à universidade, ele não se sente em desvantagem. “O que eles fazem, nós também fazemos na busca por uma molécula que bloqueie o sítio ativo da proteína”, afirma. Ele já sabe, na comparação entre a proteína do vírus Zika e a do vírus da dengue, que os respectivos sítios ativos apresentam diferenças importantes.

O fármaco que o grupo do CIBFar busca, portanto, seria específico para Zika. Com a publicação da estrutura cristalizada, ele espera contribuir para uma corrida em que diferentes laboratórios buscarão novos inibidores para a enzima NS5, candidatos a tratamento para a doença.

O artigo de Godoy, A.S. e outros Crystal structure of Zika virus NS5 RNA-dependent RNA polymerase, publicado na Nature Communications, pode ser lido em http://www.nature.com/articles/ncomms14764.

> Clique aqui e saiba mais.
Informativo O que é uma AFT Projetos

Não deixe de conferir a última edição do Informativo CRQ-V: a revista trimestral dos químicos.saiba mais

Saiba o que é necessário para o profissional assumir responsabilidade técnica na indústria química.saiba mais O PQUIM auxilia o profissional formado em Química a ingressar ou a retornar à área de trabalho.saiba mais
Acesso à Informação

CRQV
Vídeos
saiba mais
CRQV

Acesso Rápido
Registro Pessoa Física
Registro Pessoa Jurídica
Pesquisa de Profissionais
Cancelamento Registro P.F.
Cancelamento Registro P.J.
AFT - Informações
Renove sua AFT
Cancele sua AFT
Atualize sua Carteira
Atualize seu Endereço
Parcelamento de Débitos
Isenção de Anuidade P.F.
CRQV

Expediente
9 horas às 12 horas e
das 13h30min às 16h45min
CRQV

Novidade!

Conheça nossa Galeria de Fotos

CRQV
 
 
CRQV Conselho Regional de Química da 5ª Região | Avenida Itaqui, 45 | CEP 90460-140 | Porto Alegre | RS | Fone/Fax: 51 3330 5659 CRQV