Conselho Regional de Química da 5ª Região
Conselho Regional de
Química da 5ª Região
Rio Grande do Sul
A vida é nosso principal elemento.
   
 
 
CRQV Institucional
Comunicação AFT Registro Delegacias Legislação Programas Fale Conosco CRQV
 
 
   
 
 
Untitled Document
Comunicação
Notícias
Agenda
Newsletter
Informativos
Vídeos
Galeria
Convênios
CRQV

Untitled Document
Todas as Notícias
A Ciência do Sono
11 de outubro de 2017
A Ciência do Chimarrão
18 de setembro de 2017
Descoberta depois de um século
15 de setembro de 2017
A Química da calça jeans
24 de agosto de 2017
A chuva ácida
07 de agosto de 2017
A Química em sua cozinha
21 de julho de 2017
| 1 | 2 |   Página seguinte

Siga-nos no Siga-nos no Twitter
Cursos
Informações
Referentes ao Registro
de Cursos de Formação
Profissional no CFQ
CRQV
Cursos aprovados pelo CFQ
Concurso Público
Untitled Document
CRQV Voltar à home >> Comunicação >> Notícias CRQV

Descoberta depois de um século
15 de setembro de 2017

AGÊNCIA FAPESP:

Nos arbustos da aroeirinha (Schinus weinmannifolius), no Pampa gaúcho, bolotas rosadas nem sempre são frutos. Cortadas, revelam uma série de cavidades dispostas em círculo, como se fossem gomos, cada uma contendo uma larva de vespa. Essas galhas, estruturas produzidas pela planta em resposta à ação dos insetos, foram descritas por volta de um século atrás pelo jesuíta português Joaquim da Silva Tavares (1866-1931). Só agora o grupo liderado pelo entomologista Gilson Moreira, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mostrou que a história é bem mais complexa e começa com uma micromariposa até então desconhecida pela ciência.

O inseto ganhou o nome de Cecidonius pampeanus, que remete a galhas (kekídion, em grego) e ao bioma em que vive, conforme artigo publicado em setembro na revista Zookeys. Ele passou despercebido por tanto tempo porque as galhas que contêm suas larvas são verdes, do tamanho de feijões, e caem da planta durante o outono para desenvolver-se no chão. “As larvas ficam dormentes durante o inverno e se desenvolvem na primavera, para depois emergir”, explica Moreira.

“Levamos 10 anos para conseguir criar as larvas e identificar a espécie”, conta. Afinal conseguiram e, por meio de microscopia óptica, eletrônica e análises genéticas identificaram a mariposa com cerca de 1 centímetro (cm) de envergadura das asas acobreadas. A família, Cecidosidae, também tem representantes na Nova Zelândia e África do Sul, além da América do Sul. “Na África, as galhas produzidas por essas mariposas são conhecidas como jumping beans.” O termo, que significa feijões saltadores, se refere à impressão de que os pequenos grãos estão saltitando pelo chão quando as larvas dentro deles se remexem.

E as bolotas rosadas recheadas de vespas, que se confundem com frutos? Aí a história vai ficando intrincada. As galhas induzidas pelas mariposas podem ser usurpadas por larvas de vespas do gênero Allorhogas, classificadas como inquilinas porque induzem a produção de um tecido diferente, chegando às esferas de 3cm, e matam a larva original. Essas galhas modificadas permanecem presas à planta e por isso são detectadas com mais facilidade.

Outra invasora costumeira é a vespa do gênero Lyrcus, que suga o conteúdo da larva de C. pampeanus e se desenvolve dentro da galha original, que não cai e aos poucos vai secando. Quando termina o desenvolvimento, a vespa abre um furo na ponta e sai.

Depois de vazias, as galhas que não caíram ao chão ainda podem abrigar outras gerações de insetos sucessores como formigas. Recém-descoberto, o sistema restrito aos topos de morro em torno de Porto Alegre corre risco de extinção. Essa área sofre forte impacto por uso humano e a aroeirinha é considerada planta daninha nos pastos, por não ser apreciada pelo gado. Se desaparecerem, suas galhas podem deixar desalojada uma variedade ainda desconhecida de pequenos habitantes dos Pampas.

Artigo científico
MOREIRA, G. R. P. et al. Cecidonius pampeanus, gen. et sp. n.: an overlooked and rare, new gall-inducing micromoth associated with Schinus in southern Brazil (Lepidoptera, Cecidosidae). Zookeys. v. 695, p. 37-74. 4 set. 2017.

> Clique aqui e saiba mais.
Informativo O que é uma AFT Projetos

Não deixe de conferir a última edição do Informativo CRQ-V: a revista trimestral dos químicos.saiba mais

Saiba o que é necessário para o profissional assumir responsabilidade técnica na indústria química.saiba mais O PQUIM auxilia o profissional formado em Química a ingressar ou a retornar à área de trabalho.saiba mais
Acesso à Informação

CRQV
Vídeos
saiba mais
CRQV

Acesso Rápido
Registro Pessoa Física
Registro Pessoa Jurídica
Pesquisa de Profissionais
Cancelamento Registro P.F.
Cancelamento Registro P.J.
AFT - Informações
Renove sua AFT
Cancele sua AFT
Atualize sua Carteira
Atualize seu Endereço
Parcelamento de Débitos
Isenção de Anuidade P.F.
CRQV

Expediente
9 horas às 12 horas e
das 13h30min às 16h45min
CRQV

Novidade!

Conheça nossa Galeria de Fotos

CRQV
 
 
CRQV Conselho Regional de Química da 5ª Região | Avenida Itaqui, 45 | CEP 90460-140 | Porto Alegre | RS | Fone/Fax: 51 3330 5659 CRQV