O tecido mais popular ao redor do mundo que existe há centenas de anos passa por processos químicos que o fazem ter a cor, espessura e efeitos dos mais diferentes.

O chimarrão é uma bebida típica do Rio Grande do Sul e é considerado um símbolo importante da cultura regional. Seu consumo se dá em cuia, bomba, erva, água quente (cerca de 70oC) e, em alguns casos, aromatizantes naturais. Mas você conhece a ciência por trás dele?

O fenômeno, que acontece há diversos anos, une gases perigosos com a água da chuva, causando danos sérios ao meio ambiente e à saúde. Sua principal causa é a poluição do ar descontrolada de grandes centros urbanos e fábricas.

Nos arbustos da aroeirinha (Schinus weinmannifolius), no Pampa gaúcho, bolotas rosadas nem sempre são frutos. Cortadas, revelam uma série de cavidades dispostas em círculo, como se fossem gomos, cada uma contendo uma larva de vespa. 

 Na gastronomia, presente na vida de todos, os processos químicos definem sabor, tempo de cozimento, harmonizações, texturas, aromas, entre outros. A adição de certos temperos como sal e pimenta, de água, de calor e frio faz com que as moléculas de cada alimento se modifiquem, trazendo resultados diferentes.

O tratamento para a ansiedade pode se apresentar de diversas maneiras, dentre elas estão os medicamentos, mudança na rotina, reeducação alimentar, meditação, prática de exercícios físicos e psicoterapia.  Hoje, diversos estudos apontam para resultados positivos e eficazes por meio da utilização de plantas naturais consideradas medicinais. 

Topo